quinta-feira, 4 de março de 2010

Características Superdotados - Gifted Universe

Aqui a tradução de um post feito pela Elisa do Gifted Universe sobre as características dos superdotados, provavelmente não vou terminar hoje... Disponível em:
http://gifteduniverse.com/category/characteristics-gifted-adult/page/7/

"Muitas pessoas pensam que só existe uma característica associada com ser um adulto com altas habilidades: alto nível de inteligência definido por um teste de Q.I. Apesar desta concepção errônea, ser superdotado não é o resultado de um teste de Q.I. e sim como um adulto superdotado pensa, se sente e percebe o mundo.

Características Definidoras de um Adulto Superdotado

1) Pensamento Diferenciado

Pensamento diferenciado é definido por acadêmicos/educadores/psicólogos de várias maneiras: divergente, complexo, resltado de um teste de Q.I., habilidade de assimilar quantidades significativas de informações rapidamente ( no entanto, esta habilidade depende do sujeito), a necessidade de entender informações em um nível mais profundo / saber o porquê. Independente das maneiras como pensamento diferenciado é definido, ser superdotado significa pensar de um modo diferente das outras pessoas, e falando de um modo geral, de um modo que possa ser mensurado.

Alguns traços comuns do pensamento de um superdotado incluem: perspectiva não-convencional, desconsideração do status quo, a necessidade de 'descobrir por você mesmo', grande variedade de interesses, a tendência a pensar sobre pensar (metacognição), vocabulário extenso, inclinação a analisar, curiosidade, e o desejo de 'resolver' problemas. O pensamento diferenciado de adultos superdotados e caracterizado pela tendência a regurlamente chegar a conclusões que diferem das aceitas pelo pensamento convencional e a chegar nestas conclusões rapidamente.

2) Intensidade

Já foi sugerido que a fisiologia e o pensamento diferenciado de adultos superdotados estão conectados. Essencialmente, o sistema nervoso de um adulto superdotado é disparado mais rapidamente do o de uma pessoa normal, criando uma experiência interna amplificada. Por exemplo, um adulto superdotado começa por pensar uma experiência diferentemente dos outros, simultaneamente a conectando-a e sintetetizando-a com vários outros pensamentos, e então tende a reprisar o pensamento em sua mente. Este fenômeno do 'interplay' amplificado do pensamento diferenciado e de emoções é particular à adultos superdotados e, embora possa obter várias formas, seu núcleo define o que é ser um adulto superdotado.

Estas duas características definem o que é ser um adulto superdotado, mas outros fatores interagem com o pensamento diferenciado e a intensidade; o ambiente, outras características pessoais e experiências também podem afetar quem uma pessoa é. Como resultado, adultos superdotados são um grupo diversificado e não podem ser definidos além do pensamento diferenciado e da intensidade. Entretanto, existem características adicionais que não definem um adulto superdotado, mas são mais comuns em adultos superdotados que na população geral.

Também deve ser frisado que a presença ou ausência das carcterísticas abaixo não determinam se um indivíduo é ou não superdotado, no entanto, possuir tais características, especialmente se combinadas, é um bom indicador de superdotação. Deidre V. Lovecky apontou que, para explicar as características associadas à superdotação é necessário descrevé-las separadamente, mas claro, elas não elas não existem isoladas, e sim interagem e reforçam umas as outras.

Características Comuns de Adultos Superdotados

Sobre-excitabilidades (Overexcitabilities) são um modo de explicar a intensidade percebida em adultos superdotados. Sobre-excitabilidade é a tradução de uma palavra polonesa que significa 'a capacidade de ser superestimulado'. Baseado nas teorias de Dabrowski e Piechowski, é sugerido que adultos superdotados possuem experiências sensoriais mais intensas e estas experiências sensoriais são quantitativamente diferentes do que as da maioria. Sobre-excitabilidades são dividas nas seguintes categorias:
1- Psicomotoras
2- Sensoriais
3- Intelectuais
4- Da Imaginação (Imaginational)
5- Emocionais

Percepção - habilidade de ler situações emocionais além da superfície/desgosto por superficialidade; relacionado ao pensamento diferenciado está a habilidade de prever resultados e consequências.

Assincronia - sentimento de estar em um passo diferente emocionalmente no ambiente externo ou internamente devido à desconexão entre seu intelecto e seus estados emocionais.

Enteléquia - a necessidade e o desejo de ser tudo aquilo que você pode ser.

Perfeccionismo - altos padrões para si mesmo e para outras pessoas; pode ser acompanhado por culpa e frustração quando o indivíduo não atinge suas próprias expectativas.

Idealismo/Alto Senso de Moral - tendência a ver as coisas em preto e branco; habilidade de se sentir indignado frente a injustiças.

Isolamento - Falta de pessoas 'iguais' com o mesmo nível intelectual e uma visão diferente do mundo podem resultar em um sentimento de estar só e desconectado.

Introversão - insto pode significar necessidade de estar sozinho para pensar, mas também pode significar que estar sozinho é necessário para se 'recarregar', em oposição aos extrovertidos que são energizados ao estarem cercados de outras pessoas. Introversão não significa necessariamente evitar ou não gostar da companhia de outros.

Este trabalho contém referências às teorias e aos trabalhos de: Kazimierz Dabrowski, Mary-Elaine Jacobsen, Deidre V. Lovecky, Michael Piechowski, Linda Kreger Silverman e Stephanie Tolan."




42 comentários:

  1. Boa noite,

    Obrigada pela tradução do artigo. Acabo de ser diagnosticada HP (adulte haut potentiel) e procuro informação.

    Encontrei dois erros no texto:

    resltado -> resultado
    insto pode -> isto pode

    Cumprimentos

    ResponderExcluir
  2. Meu Twittwer é @Giancarlopoeta e face book e Giancarlo de Oliveira,maiores informações interajo por lá,até espero que em breve.
    Obrigado pela à atenção desde já Gian...

    ResponderExcluir
  3. 1. Ser um super-dotado ou não realmente importa bastante menos do que aquilo que *erguemos* usando a argúcia que temos: *inteligência aplicada* é o que de fato possui algum valor.

    ResponderExcluir
  4. Obrigado pela orientação.

    ResponderExcluir
  5. Caraca! Realmente sou um Super - Dotado e eu que naum acreditava, esse texto explica detalhadamente quem sou! Impressionante!
    Eu escreveria as mesmas linhas se alguém me pedisse!

    ResponderExcluir
  6. alguem me diz mais algumas caracteristicas de sobredotados? tenho um filho adulto -22 anos-, que foi diagosticado aos 11 como tendo qi mt elevado e gostava de saber + coisas porque o seu comportamento e algo desigual dos comuns n ,e mau-, mas algo que me preocupa e gostava de saber para o poder ajudar .
    obrigada e cumprimentos
    helena baptista

    ResponderExcluir
  7. Super dotados, QI elevados, NÃO podem fazer uso de alcóol e outras drogas, pois comprometem sua memória e os colocam em riscos de esquisofrenia e outros?

    ResponderExcluir
  8. Acabo de descobrir que sou mais que uma pessoa muito inteligente...Tenho altas habilidades!
    Erika Emrich

    ResponderExcluir
  9. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  10. Por mais que eu encontre algo que eu imagino ter, ainda sim eu não tenho certeza se tenho altas habilidades. Desde pequeno tinha dificuldade para dormir, as vezes vem uma vontade de ficar fazendo exercícios de calculo, mas também tem aquelas horas que eu me desespero por causa da rotina, nunca me importei em ser melhor em tudo, mas sempre me preocupei em ser melhor na primeira tentativa, eu costumo me isolar das pessoas, seja uma doença, até a minha irmã fala que não sou normal, por isso que fico pesquisando essas coisas, antes eu achava que eu tinha problemas de aprendizagem por que era desprovido de inteligência, mas desde então eu comecei a me contrapor, pois no momento que eu queria superar tais dificuldades, eu superava em um curto espaço de tempo. Em fim não ficarei me vangloriando eu tentado induzir algo ao meu respeito, mas quero deixar claro que se existir algum especialista no assunto do blogger, peço que me adicione através do email:filo-19-sofia@hotmail.com

    ResponderExcluir
  11. Já sabia que eu era superdotado, entretanto, esse texto ainda foi bastante relevante para aglutinar conhecimentos. Pena que as pessoas costumam a chamar indivíduos superdotadas somente de muito inteligentes, o que é um equívoco, pois não condiz com a realidade e assim menospreza a nossa supercapacidade intelectual.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa... Sheldon Cooper... é você?
      Rs... Brincadeira! Concordo plenamente com você.

      Excluir
  12. Ah me dá um tempo, esse povo se achando muito inteligente não tem a mínima concepção do que é ser superdotado, eu vejo pelas ideias das palavras que são meros ostentadores de vento, falam bonito mas não dizem nada...haja paciência, se você nasceu mediano você não vai mudar isso. Tanta coisa que merece atenção vocês vão gastar tempo precioso afirmando serem superdotados...tamanha atitude insolente o máximo que vocês vão chegar é a ver a página da Mensa no campo onde diz membro e senha...mais longe que isso impossível.

    ResponderExcluir
  13. Como eu disse várias vezes, após um início meio turbulento nesse blog, eu coloquei a moderação de comentários. O motivo disso é que: na moral, quer ofender alguém vai pra casa da sogra e para de encher o raio da paciência, e leve sua falta de conteúdo e de respeito para a pqp.... (Malz ai pelo o linguagar chulo...)
    Mas como opinião, mesmo sendo crítica do blog é bem vinda eu liberei o comentário acima.
    Honestamente eu tenho váááários comentários a fazer para o ser humano acima (que SURPRESA DAS SURPRESAS postou de forma anônima, o que demonstra muita coragem e convicção em suas palavras.
    Não vou me prolongar, mas o que eu realmente gostaria é que se alguém ainda frequenta este blog, que ilumine a cabeça de que se acha expert no assunto de altas habilidades simplesmente porque leu um artigo extremamente superficial em sites como aqueles que possuem três letras no nome (não dá pra citar né...olha o proceeeesso... Enfim é isso, o convite está feito. Eu estou de volta (pra variar sumi de novo e estava em um lugar sem internet, olha a tragédia) e esse blog agora vai engrenar de vez.
    Ah e anônimo, por favor, apareça mais vezes para partilhar conosco seu ponto de vista tão iluminado, você será muito bem vindo...

    ResponderExcluir
  14. Esse tipo de informação só serve para nos afastarmos uns dos outros. Para os pretensiosamente superdotados existem dois tipos de pessoas que são: eles e os intelectualmente inferiores.

    A inteligência humana é infinitamente diversificada e complexa demais para que se trace um perfil em um texto de poucos parágrafos, apesar de muitos superdodados de identificarem com ele. Não sabem que uma característica importante de indivíduos com inteligência "superior" é o senso crítico?

    ResponderExcluir
  15. Pelos breves comentários, ainda não encontrei ninguém na minha mesma frequência.
    Boa Pagina, ajuda os iniciantes arrogantes.

    ResponderExcluir
  16. É uma merda saber que vc é superdotado depois de adulto, depois de sofrer tanto por se sentir só mesmo em meio a uma multidão, sentir que ninguém entende o que vc fala etc etc etc etc....Talvez se descobrissem antes, não seria tão solitário assim, intelectualmente falando.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Preocupa não anônimo... Ser identificada (ae já utilizando o termo do veredito hehehe) quando criança - aos 3 aqui no caso - é a mesma merda.... Só que é uma merda por mais tempo...

      Excluir
    2. kkkkkkkkkkkkkkkk Adorei seu comentário Flavia!!! :D

      Excluir
    3. Solidão! Desde a mais tenra infância, solidão. Em meio a tanta gente, solidão. As sensações amplificadas, como quem via o mundo por lentes de aumento. Muita solidão.
      Qualquer som era como um barulho, um toque, um golpe. Um amigo era um amante e um amante era Deus!
      Resumindo:
      Solidão!

      Excluir
  17. Olá, Infelizmente não encontrei amparo até hoje. Me sinto sozinha, daquele tipo que pensa que o superdotado é o ser mais inferior porque de todos é o único que não possui compreensão dos demais, há o racismo, a homofobia, mas nós estamos esquecidos em algum buraco por aí, e trocando em miúdos, como há poucos de nós não me surpreenda que eu possa findar minha vida sem poder ter com quem compartilhar abertamente meu conhecimento e experiências!!Como se diz a psicóloga Carmez, especialista em superdotação, há superdotados que se sentem "patinhos feios" e não é pra menos, a sociedade contribui pra isso!!

    ResponderExcluir
  18. Tenho 24 anos, me enquadrei em quase todas as características dos superdotados, não acredito que essas características definem um superdotado, antigamente acreditava que eram apenas os seres que tinham uma alta pontuação num teste de Q.I, hoje não acreditam mais nisso. Enfim, não me considero superdotado, o fato de ser ou não, não vai diferenciar quem sou, o fato de algumas pessoas acharem que são, sim, pois pode mexer no ego de cada e por ventura vir a si vangloriar por tal coisa. Vi que a Flávia comentou sobre ser descoberta aos 3 anos e não mudar em nada; tudo bem, mas será que se não tivesse sido descoberta aos 3 anos, não seria diferente, não teria menos atenção ou qualquer coisa, até mesmo dos próprios pais, ou de quem a levou a esse teste que resultou nesse"diagnóstico".

    Gostaria de saber se existe um teste, psicol~, instituição, algum profissional... que possa esclarecer se realmente sou, pois o que mudaria seria a certeza de sim ou de não. E se não passarei a procurar outra alternativa para explicar meu estilo de vida, foco e obstinação. Pois minha própria esposa diz que preciso de tratamento, pois vivo intensamente tudo que acho interessante até me cansar ou achar algo mais interessante, isso vai desde seriados a desafios de lógicas. Então decidi vir atras de saber o que poderia ser meu diagnóstico, e pesquisando cheguei a esse blog.


    Grato, desde já,

    Saulo Mesquita

    ResponderExcluir
  19. Nunca direi que sou superdotado, por que não gosto que as pessoas que eu amo se sintam magoadas por não conseguirem fazer ou entender as mesmas coisas. Mas é muito chato ficar junto com as outras pessoas, um tédio muito grande, mas também sinto pena delas.
    Ainda bem que tenho um amigo que também é assim, conversávamos sobre a relatividade, fisica, cosmologia. ... Mas ele foi embora. Agora sim me sinto deslocado.
    Tenho 19 anos e tenho vários passa-tempos, como bonsai, música, biologia, astrofísica, japonês. ..e sou fluente em Libras....
    E é muito confortante compartilhar isso.
    Mesmo que não tenha como provar

    ResponderExcluir
  20. Os comentários estão em 3D! Legal!

    ResponderExcluir
  21. Já fui sabotada e perseguida por esposa de chefe que teve acesso ao meu teste de QI (lamentavelmente chamado de psicotécnico naquela empresa). Já fui chamada de metida, narizinho empinado e muito mais. Amigos, são poucos ou quase nada. Ou são humildes e reconhecem a sua inteligência e sua falta de culpa por ela OU te sacrificam por não pertencer à fatia dos 95%. É maravilhoso ser superdotado, ter facilidade para tudo, ser proativo, incansável, resiliente, mas dá um trabalho !!! em todas as áreas. No trabalho vc é invejado, nos relacionamentos afetivos incompreendido, nas relações familiares como diferente. O fato é que fomos jogados aqui, e sem culpa alguma recebemos em nossa bolsa um presentinho a mais. Na minha concepção, deveríamos nos unir, em um grupo, uma rede ou quiça uma cidade, procurarmos nossos iguais para sermos livres e começarmos a viver como tais. Não que sejamos melhores, mas que temos uma necessidade a mais que no geral, é incompreendida. Só acho !!!

    ResponderExcluir
  22. Foda-se essa parada de superdotação vai acrescentar alguma coisa na minha vida? Não vai, então maldito o dia que aquela puta daquela garota veio tocar na palavra "superdotação" comigo, "affs", já tenho um complexo de inferioridade, ai junta mais essa porcaria de distinção ai pronto fiquei sem identidade. Quer saber, cheguei em uma conclusão "Superdotação não existe". Que raiva, estou passando um perrengue na faculdade por causa desse título. Não posso ser eu, por fica um monte de otário implicando ou então tentando me testar. Há vai tomar no ....

    ResponderExcluir
  23. Sabe, vou acabar gritando naquela porra lá que eu sou mesmo é infradotado, seu burro, isso que eu sou, entendeu. Passei a vida toda sofrendo bulyn ou então sendo excluído, se ser superdotado ou muito inteligente significa ser excluído dos padrões sociais então foda-se. Vou fazer na minha camisa uma estampagem dizendo "INFRADOTADO". Estou cansado desses clichê, já virou clichê. Primeiro: Movimentos simultâneos, minha consegue falar, fazer comida e ao mesmo cuidador de um bebê, isto faz dela um superdotada? Não. Três dos meus os sobrinhos aprenderam a andar com 9 meses, isto faz deles um superdotado? Não. Eu tenho cara de doido e o meu campo de estudo é a computação, isto me torna superdotado? Não. Então vou mandar esses clichê tudo pra puta que pariu e se alguém daquela faculdade vim com essas lorotas vou mandar naquele lugar.

    ResponderExcluir
  24. Posso recomendar calma amigos? Goataria que comentassem e criticassem os meus pontos de vista que irei frasear:

    1. Um sobredotado reconhece outro, pode levar tempo mas acaba por acontecer.

    2. Somos muito "polares", interessamo-nos pelos extremos porque quebram as barreiras, sao inovadores, por natureza diferentes.

    3. Se fizessemos tudo o que queria-mos, 1000 anos não chegariam.

    Agora pensem... Como será ser sobredotado com Défice de Atenção sem Hiperatividade? :)

    ResponderExcluir
  25. gostei do texto, mas como eu resolvo essa DOENÇA chamada superdotismo??? ou pelo menos como eu amenizo, claro q me refiro à parte negativa, ou seja quase tudo.

    ResponderExcluir
  26. Minha médica me disse que tenho alta habilidade, saber isso me ajudou a entender muitas coisas. Me conheço melhor, me aceito melhor e penso mais alto agora. Obs. Falei e andei aos 6 meses, aprendi a ler antes de entrar na escola. Aprendo o quero sozinha, não dependo de mediador se eu estiver muito interessada. E sim, também acho que um superdotado reconhece outro.

    ResponderExcluir
  27. Não percebo intelectos complexos nos comentários acima, identifico apenas vaidade. Ser superdotado (demorei muito para descobrir o nome da minha deficiência ) acarretou muito sofrimento à minha infância e adolescência, sempre isolado, perdido, desconectado, num sentimento de vazio sem fim que até hoje, às vezes, me incomoda. Na escola, achava mais interessante passar horas solitárias na biblioteca. E ficava extasiado com tanta informação, mas eu devia estar na sala de aula, claro, repeti de ano inúmeras vezes. Em casa só queria desenhar, ler, jogar xadrez que aprendi na biblioteca, ouvi Bach, e inúmeros músicos barrocos, cujas biografias encontrei em livros com folhas lindamente amareladas pelo tempo. Hoje, com 44 anos, administro razoavelmente minhas inquietações, fico camuflado,e entre desenhos, jogos de xadrez, o violino e questões sobre o espaço e tempo continuo me impressionando com tanto para aprender.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É bem assim mesmo rs. Bom, comigo ao menos. Gosto muito de música clássica, e mais ainda de um bom heave metal! hehe Principalmente quando o que se ouve é com influência clássica também. Bibliotecas... noossaaa, esse é um mundo a parte para alguém que ama conhecimento. Não sou de comentar posts alheios, mas quando li "continuo me impressionando com tanto para aprender." não pude deixar de fazê-lo, pois também sinto dessa maneira! Há tanto para conhecer, ler, estudar, fuçar, que lugar e tempo são pequenos demais. Viviane

      Excluir
  28. Eu também ACHO que sou superdotada. Até entrei em contato com o Núcleo Pahs mas não tive coragem de passar pela avaliação. Por que "acho" que sou? Pelo alto Qi nos testes, por inúmeras situações que ocorrem desde a infância e mesmo agora na vida adulta, ter facilidade, por exemplo, para passar em concursos, estudar, entender, aprender, ensinar, memorizar, etc.
    Só que isso, não me deixa feliz. Sério. Porque na contramão disso tudo, que é bom, vem solidão se você não está perto de pessoas como vc ou que te entendam. As pessoas em geral confundem interesse com arrogância. Por este motivo, eu pelo menos, me calo ao invés de dividir tantas coisas interessantes que sei ou que quero aprender. Para mim superdotação tem a ver com solidão, mas quando a gente aprende a viver essa solidão, ela se torna boa, no sentido que passamos a ser nossos melhores amigos e motivadores. Viviane

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu gostaria de fazer a avaliação, como faço pra entrar em contato?

      Excluir
  29. Acabo de ter meu diagnóstico, e já passei dos 30 anos. É triste mas é esclarecedor de muitas coisas... Aprendi a ler sozinha,desenhava desde cedo (sou artista plástica) tendência ao autodidatismo, frequentei faculdades de Matemática, Artes, Direito, todas públicas. Minha vida é muito difícil, sou a "diferente" da família, no trabalho, ainda novata, fazia coisas q os outros levaram anos para aprender ou nem aprenderam, então era muito perseguida... Como foi dito, uma pessoa com superdotação reconhece outra. Digo que reconheci, talvez 02 pessoas nos comentários, com possibilidades de serem, ou terem... A sensibilidade aflorada e gosto pela moral e a verdade são fatores de identificação de pensamento/comportamento, ao que causa grande sensação de desajuste ao meio. Os medianos que lerem podem sempre achar que trata-se de alguma vaidade. Mas não há nenhuma. Preferiria ser mais comum...

    ResponderExcluir
  30. Descobri a pouco. Embora estivesse tudo muito óbvio, não houve interesse dos meus pais ou das escolas diagnosticar/entender o caso. Como dito, um sobredotado reconhece outro. reconheci talvez duas pessoas dentre os comentários e, certamente, não são os dos comentários ácidos, deselegantes... Há de se considerar os aspectos ideológicos, pois foi o que mais me impressionou... O senso de justiça... espero mesmo me conectar com pessoas afins, pois que o isolamento já é uma rotina.

    ResponderExcluir
  31. As pessoas querem ser diferentes, serem super inteligentes, tsc tsc... Mal sabem elas o quão sofrido é ser assim... Uma vida sozinho de tudo e todos, por mais que tentem entender, não fazem ideia do que é ser e viver como um AH/SD... Falo isso no geral, família, educação, sociedade, trabalho e vai longe... O constante medo do fracasso, a cobrança nós com nós mesmos e muito mais.
    Sorte de quem é direcionado desde cedo, e mesmo assim não se sente completo, até pq nunca está bom, é uma briga interna em busca da perfeição... Uma coisa é certa um AH/SD sabe que nunca será um gênio e jamais se gava por isso.
    Isso foi só uma breve descrição de um AH/SD como eu!
    E aos que estão descobrindo com orientação e direcionamento de profissionais que estudam nosso comportamento, não por meios de leituras na internet, bem vindos ao nosso mundo!

    ResponderExcluir
  32. Muito bom o artigo. E como diz alguém, tem vaidade em alguns comentários. Esse foi e é um dos meus grandes problemas. Como lidar com o fato de vc ser mais rápido nos raciocínios que a média que te rodeia? Como lidar com o fato de ter três anos mesmo que teus companheiros de aula e que teu apelido na escola seja "O super"? E isso aos 9 anos. Acho que os superdotados, (não gosto da palavra mas é a que se usa) vivemos fazendo um balanço entre os benefícios e os prejuízos que nos deu nossa condição. Sofremos bastante, mas também é legal poder fazer algumas coisas com facilidade e a qualquer idade. Um abraço, Ricardo.

    ResponderExcluir
  33. Primeiramente, agradeço a pessoa que traduziu o conteúdo, pois bem, altas habilidades é um assunto bem interessante que pesquiso há anos, o que mais me fascina/intriga é; qual a necessidade das pessoas que buscam descobrir se estão dentro desse universo das altas habilidades? Quantas dessas pessoas, estão na verdade, em busca de uma identidade que talvez será encontrada no termo superdotado? O que causa e o que se esconde por trás dessa busca desenfreada?
    No tempo que pesquiso sobre o assunto, conheci muitos superdotados autonomeados, outros com caraterísticas, tantos com com testes infindáveis que comprovavam sua situação, em (quase) todos, encontrei uma insegurança próxima da patológica, uma ânsia voraz para afirmar-se como superdotado, qual a razão dessa busca? Entendemos o que são essas altas habilidades, compreendemos como é um superdotado, porém, não entendemos nada sobre quem busca essa confirmação, enfim...
    Gostaria que alguém tirasse essa dúvida.
    Vejo a superdotação intelectual muito mais como ausência, mas, ausência do quê? Ausência de conforto mental, nas pesquisas que fiz e ainda faço, ficou claro que a maioria dos que residem dentro dessa definição, são indivíduos reclusos, trancafiados em suas próprias mentes, poucas são "pessoas de sucesso" socialmente falando, pois curiosamente, a linha que separa essas altas habilidades de um "transtorno mental", é bem tênue, tornando o superdotado apto no âmbito social, somente se essa grandeza intelectual vier acompanhada de uma ampla inteligência emocional. É um assunto fascinante, mas ainda quero descobrir o que move o ser que busca saber se está dentro dessa "atmosfera habilidosa", quem tiver conjecturas sobre, me diga...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Suas pesquisas, talvez, mostre que você sente as mesmas agonias existenciais dos que você estudou. Aceitar isso já ajuda muito!

      Excluir
  34. Eu compreendo algumas coisas além do que a linguagem é capaz de manifestar e fico extremamente transtornada com isso, além de ser extremamente sinestésica, minha inteligência é muito mais criativa, abstrata e emocional... o que se junta com o que pode-se chamar de mediunidade e não pode ser mensurada ou quantificada como a inteligência lógica e racional que são "medidas" através do teste de QI. Consigo, naturalmente, mapear as emoções e comportamento das pessoas - o que a parapsicologia chama de precisão empática - minha interação social é facilitada porém a convivência é de extrema dificuldade... sem contar a multipotencialidade, autodidatismo e memória... Não é nada fácil...

    ResponderExcluir
  35. Acabo de receber o diagnostico de AH. E vejo aqui muitos comentarios que validam o meu desespero nessa busca. As AH nao são um premio e nao nos tornam melhor que ninguem. É uma caracteristica que nos coloca no mesmo grupo de pessoas com necessidades especiais. Descobrir aos 36 anos foi um alivio mas tambem, desesperador. Sejam sensiveis uns com os outros. A exclusao por aqueles que nao entendem nosso modo de ser e agir no mundo ja é doloroso o sufuiciente.

    ResponderExcluir