segunda-feira, 6 de junho de 2016

Nós mesmos nos permitimos entrar nesta 'cultura de humildade' e temos medo da reação dos outros...

E ae galera, já mencionei várias vezes q leio todos os comentários, mas não respondi 99% por preguiça (não pelo assunto, q obviamente -duh- é do meu interesse, mas escrever neste teclado especificamente... Tipo que uma filhotinha de Rottweiler ficou um tempo aki... E a inteligente aqui deixou o Note no chão, aberto, e fui fazer algo inútil...Quando eu volto....
Fio do meu phone viraram dois , pq ela arrebentou a parada..O fio do Note td mordido (haja fita isolante),mas o pior foram as teclas.... Ela comeu(mas não engoliu, ainda bem neh, hehehe eles destroem td, mas cada dia vale à pena

Voltando ao assunto deste post (q vou terminar só com um teclado q pelo menos tenham letras nele...

Muitas pessoas acham q pq não foram identificadas formalmente, ficam no "eu acho", "pode ser', ""não tenho certeza", etc. Aqui,alguém mencionou num comentário (vou achar  nome e postar) que nós reconhecemos,seja ao vivo, online, (alguém ainda usa cel parar fazer ligações), em qq situação.
nós nos enxergamos uns aos outros... Alguns nem sabem sobre SD/AH,Mas eu sei, reconheço nossa espécie, e acho que pr varios motivos, ficam reticentes.

Vou escrever mais dps, mas esse teclado está trazendo pensamentos de defenestração, só não quem vai 1º.

Para variar, como sou super sucinta, o ponto é: Temos q nos unir, deixar medo de declarar, parar cm 'eu acho',para "eu sei". Sei da dificuldade de achar profissionais nesta área, elas existem. Em um dos 1ºs posts aki foi de ma Prf. do RS, fantástica.

Se todos nós revertermos a moral cristã (pessoalmente, nada de sair d porta em porta com a melhor blusa do mundo: "Nietzsche está Morto") e pensarmos nos instintos levando à uma percepção de razão. Se paramos com esta vergonha  ou medo de rejeição e rótulos, se nos unirmos de verdade e nos colocar na posição de nos declarar diferentes.E já q  MEC nos incluiu nos termos de necessidades especiais, onde estão nossas rampas? Onde estão nossos livros em braile, cade a pessoas que auxilia quem tem prblema de audição.....Isto NÃO É DE FORMA ALGUMA MENOSPREZAR quem somente depois de mt luta, conseguiu o básico do básico.

Mas para isso,se uniram, estão acabando com o estigma de que necessidades especiais não tinham lugar na nossa sociedade.

O Blog não tem carimbo de "ENTRADA PROIBIDA DE QUEM NÃO PROVAR QUE FAZ PARTE DO GRUPO". Pelo contrário´é para quem já está ciente de sua AH/SD; mas importante tb é quem passou a vida inteira se sentindo deslocado,para dividir histórias, suas, de parentes,namorado(a), amigos, etc,sem saber que são as AH que lhe tornam diferente
Porque se escondendo atrás de máscaras para cada interação é fácil para nós, mas tb impede seu potencial

Vey, o povo não vai pra rua pelo embate entre o sujo e o mal-lavado?

Pq nós não tentamos reunir, cobrar nossos diretos e divulgar o assunto? \Mt gente se sente sozinha, deslocada e tem  medo de ser taxado, rotulado, excluído, pq podem ser descritas como 'metidas, narcistas, ou mt 'CDF'  ou de erráticas e bagunceiras.

NÃO TENHA VERGONHA DE SUAS HABILIDADES,
TENTE SEGUIR SEU CAMINHO SEM INTERFERÊNCIA
QUEM QUISER CONVERSAR C ALGUÉM QUE POSTOU AQUI, MANDA UMA pm, E PONHO VCS EM CONTATO..
PROCUREM MAIS AMIGOS,CONHECIDOS,COM AH.
PESQUISEM OUTRAS FONTES SOBRE O ASSUNTO
VOLTEM COM OUTRAS INFORMAÇÕES
NÃO TENHAM MEDO SE IDENTIFICAR...,DE SE REVELAR, DE DEIXAR TRANSPARECER O QUE VOCÊ PENSA DE VERDADE.

E se alguém lhe menosprezar, duvidar, ou  começar a lhe incomodar na net, escola, trabalho, seja lá  que for! Responda: Einstein disse existem duas coisas infintas:A1ª é o Universo... A2ª manda o ser humano abrir um livro de vez em quando...

7 comentários:

  1. ANENIMO

    Bastante interessante o assunto. No email que te enviei, indiquei o livro A Elegância do Ouriço. Ele trata de uma porteira superdotada que quer passar despercebida do mundo. Ela se esconde dos holofotes, deixa as bajulações para as triviais pessoas que se importam tão somente com títulos e que, muitas vezes, têm isso apenas como verniz, superficial. No prédio em que ela trabalha, há uma garotinha de 12 anos que também é superdotada, e que também esconde seus talentos. Talvez aqui te anime isso de um superdotado reconhecer o outro, haha. Bem interessante, vale muito a pena.
    É próprio de nós humanos o sentimento de querer ser aceito, de fazer parte de uma comunidade. Acredito que, pelo fato de a incidência de superdotados na sociedade não ser tão alta (agravado ainda pelo preconceito que envolve tais pessoas, com rotulações de "vaidosos", "metidos" etc), acaba que o isolamento parece consequência natural dessa vida que a gente não escolheu. Para se ver livre desse mundo que gravita em torno de si, não me admira (até me solidarizo, com pesar, é claro) aqueles que preferem viver a vida de outros, assumindo características que não são suas, ignorando suas potencialidades a fim de parecer "normal".
    Para enfrentar isso, bato na tecla de que tem que ser fortalecido o senso de pertencimento a uma comunidade de pessoas com altas habilidades. Não adianta nos equipararmos àquilo que não somos, isso é anulação, não é viver.

    ResponderExcluir
  2. Flavia, fico muito feliz em ver que o blog ainda está ativo. De tempos em tempos eu dou uma olhada em busca de novos textos seus, eles me motivam demais! Não sei se tenho ah/sd, mas resolvi encarar meus medos e essa semana vou fazer um teste de qi com a minha psicóloga. Dependendo do resultado vou me aprofundar em busca da identificação. Espero em breve alcançar esse empoderamento, largar o eu acho. Achei ótima sua iniciativa, eu sempre tive curiosidade de conversar com pessoas com ah/sd, mas não conheço ninguém (pelos menos ninguém que saiba que tem)

    Anna

    ResponderExcluir
  3. Oi, você tem Facebook? Se não quiser dar, pode ser por e-mail mesmo. Sou superdotado e tô passando por dificuldades, talvez você possa me ajudar.

    ResponderExcluir
  4. Eu morro de medo de me pegarem lendo sobre superdotação aqui na firma e começarem a me tachar de metido... por isso leio artigos em outras línguas: Hochbegabung bei Erwachsene, surdoué, ギフテッド.

    ResponderExcluir
  5. Você está viva? O.o

    ResponderExcluir
  6. Flávia, isto já existe e é previsto em lei (LDB, PNE, DCN etc), porém acho de extrema valia a reunião e criação de grupos para a garantia de implementação de ensino e acompanhamento diferenciado para pessoas com AH.

    Abraço!

    ResponderExcluir
  7. Acabo de conhecer este blog; agradeço teu empenho em compactar e distribuir todas essas informações.E, quase abusando do espaço, tenho uma dúvida: 18 anos é uma idade tardia para a identificação formal de AH/SD? Gostaria de qualquer orientação a respeito. Espero qualquer retorno. :D

    ResponderExcluir