sábado, 20 de fevereiro de 2010

Altas habilidades e Preguiça

Então... esta madrugada está se provando extremamente prolífica (pelo menos em relação a traduções, e menos em relação à pensamentos próprios hehehe), então vou aproveitar e traduzir mais um texto do Gifted Universe, só não prometo terminá-lo hoje: gifteduniverse.com/category/characteristics-gifted-adult/page/6/

"Superdotação/inteligência vem com a expectativa de ser excepcional e se você falhar em demonstrar excepcionalidade as pessoas assumem que é preguiça. Basicamente, se você é superdotado, e apesar deste tremendo potencial, você falhou em achar a cura para o câncer ou em ser o próximo Einstein, então você é preguiçoso. Em uma sociedade na qual uma boa ética de trabalho é valorizada, é opnião popular que, possuir uma ética de trabalho sólida é a distinção chave entre o sucesso e o fracasso (sucesso geralmente definido como: carreira, renda, educação - é com você se esta é a SUA definição de sucesso). Então qual é a conexão entre ser superdotado e preguiçoso?

Algumas pessoas superdotadas são preguiçosas? Claro. Assim como o resto da população, algumas pessoas superdotadas são baixas, algumas precisam de óculos e algumas são preguiçosas. Não é necessariamente relacionado com a superdotação, elas são só preguiçosas. No entanto a idéia persiste: se você é tão excepcionalmente inteligente, porque você não alcançou todo seu potencial? Existe uma preguiça associada com a superdotação, existe uma 'preguiça superdotada'? *N.d.T.: hahahahahahahahahah!!!!!

As pessoas superdotadas são preguiçosas porque as coisas acontecem muito facilmente para elas, então elas não precisam trabalhar tanto? Quando eu estava em um programa para superdotados no ensino médio, nós tinhamos um jogo que consistia em quem conseguia a melhor nota com o menor esforço. E existem algumas pessoas com altas habilidades que possuem o pensamento de que - eu não preciso me esforçar muito porque sou inteligente. O professor da minha filha (*N.d.T.: as filhas dela também são superdotadas.) teve uma ótima abordagem a respeito disto: ele lembrava minha filha constantemente de que, no fim das contas a educação dela era dela mesma, não de seus pais, não de seus professores, e então ele a perguntava: como VOCÊ se sente a respeito deste trabalho? Foi o seu melhor esforço? Eram estes o resultado que VOCÊ procurava?

Eu acho que 'preguiça' está também relacionada com a característica dos superdotados da necessidade de compreeender o significado da tarefa - para muitos de nós, se o significado, o motivo, o objetivo da tarefa não estiver claro, então não estaremos suficientemente motivados a realizá-la. Minha filha realmente não vê o objetivo de ter um quarto arrumado, mas ela entende que a roupa suja deve estar na cesta, senão ela não terá roupas limpas. Ter roupas limpas é importante para ela, então ela as coloca na cesta. Para mim, eu não me importo muito se o exterior do meu carro está limpo ou não. O interior do carro importa se está limpo, mas o exterior não. Isto pode ser visto como preguiça? Talvez, mas se algum dia eu ver uma razão importante para limpar regularmente o exterior do meu carro, ele então estará invariavelmente limpo.

Enfim, eu acho que as vezes a preguiça não é preguiça, mas medo. O auto-conceito de tantas pessoas superdotadas está fundado em sua inteligência excepcional. E eu li uma teoria de que pessoas superdotadas podem ser intelectualmente confiantes e ao mesmo tempo emocionalmente inseguras. Então se uma pessoa superdotada se coloca em uma área que nunca tentou, ou a qual ela teme que não sobresairá - quais são as implicações? Sobre qual seu valor como ser humano? Como falhar em atingir suas expectativas ou as dos outros poderá minar seu auto-conhecimento? Eu acho que algumas pessoas superdotadas se limitam devido aos seus altos padrões/perfeccionismo algumas vezes ao ponto da paralisisa, no entanto aparentado preguiça.

Algumas pessoas superdotadas são preguiçosas? Sem dúvida. Existe uma 'preguiça superdotada'? Acho que sim, mas não sei se é sempre a preguiça per se mas é o que pode aparentar."

Poisé, terminei....

4 comentários:

  1. Concordo plenamente.
    Acredito que não se trata de preguiça e sim que, com o nosso raciocínio, observação e um auto-conhecimento apurado (preguiça de aprender a nova ortografia,hehe),sabemos se aquela tarefa vai ou não dar certo, quais serão as dificuldades, que as coisas mudarão amanhã e muitas vezes que não seremos capazes, seja por habilidade, personalidade ou sensibilidade de concluí-la.

    ResponderExcluir
  2. Eu acho que o termo certo seria procrastinação, blz?

    ResponderExcluir
  3. Eu concordo com tudo oq foi dito hehhe sejão felizes

    ResponderExcluir
  4. Engraçado que, durantte toda minha graduação de fisica tive uma enorme dificuldade de fazer como meus colegas, que pra obter boas notas, passavam horas fazendo e refazendo exercícios dos livros, pois sabiam que nas provas cairiam questões quase idênticas.Entretanto, o que sempre me preocupou era compreender o fundamento teórico do problema fisicamente, e muitas vezes eu passava horas a fundo aprofundando e viajando na teoria e suas implicações, enquanto passava pouquíssimo tempo resolvendo exercícios pra treinar pra prova.Eu sentia uma preguiça imeensa só de pensar, as vezes até mesmo uma dor de cabeça, quando via que aquilo não contribuíA para eu ampliar minha compreensão do problema.E parece que isso mee persegue hoje, quando sou obrigado a perder meu tempo com relatorias e blablablas acadêmicos inúteis enquanto poderia gastar mais o meu tempo estudando o que essencialmente importa.Infelizmente,no fim, você acaba se prejudicando por não seguir o sistema,mesmo com a convicção de que você está certo.

    Flavia, publiquei este comentário como anônimo mas gostaria muito de estabelecer contato contigo via facebook ou e-mail.Se tiver interesse também, meu perfil do facebook é : https://www.facebook.com/daniel.marchesi?ref=tn_tnmn

    ResponderExcluir