segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

Whatever Works

Fica aqui uma dica de filme: Whatever Works (2009) de Woody Allen. O filme é sobre um gênio (que como todos os gênios) é um pessimista incurável (Larry David) e conhece uma menina do interior (Evan Rachel Wood), daí a relação entre os dois. Eu gostei do filme, o melhor, como todo filme do Woody Allen, são os diálogos impagáveis. Deixo aqui o monólogo inicial do personagem de David, Boris (Já sabendo obviamente que minhas habilidades como tradutora vão deixar a desejar...):

" Eu não sou um cara amável. Charme nunca foi uma de minhas prioridades. E só para você saber, este não vai ser o filme pipoca do ano. Então, se você é um destes idiotas que precisa se sentir bem, vá fazer uma massagem nos pés. O que diabos significa tudo? Nada, zero, coisa alguma. Nada vem de nada, e no entanto, não faltam idiotas para ficar resmungando. Eu não. Eu tenho uma visão. Eu vou discutir você. Seus amigos, seus colegas de trabalho, seus jornais, a TV. Todos estão mais do que felizes em falar algo, cheios de desinformação. Moralidade, ciência, religião, política, esportes, amor. Seu portfolio, suas crianças, saúde, meu Deus!

Seu eu tiver que comer nove porções de frutas e vegetais por dia para viver, eu não quero viver! Eu odeio as malditas frutas e vegetais. E o Omega-3, e a esteira, e o cardiograma, e a mamografia, e o sonograma pélvico, e, oh, Deus, a colonoscopia! E ainda, com isso tudo, chega o dia que eles te colocam em um caixão e se segue a nova geração de idiotas. Que também lhe contarão tudo sobre a vida e definirão por você, o que é apropriado.

Meu pai cometeu suicídio porque os jornais matinais o deprimiam. E vocês podem o culpar? Com todo o horror, e a corrupção, a ignorância, a pobreza, o genocídio, a AIDS, o aquecimento global, o terrorismo, os imbecis defensores dos valores familiares, os imbecis defensores das armas! 'O horror' Kurtz disse no final de O Coração das Trevas. 'O horror!' Sorte de Kurtz que não tinha o Times entregue na selva, senão ele realmente veria o horror.

Mas, o que fazer? Você lê sobre um massacre em Darfur, ou então um ônibus escolar explode, e você diz: 'Oh meu deus, que horror!'. E aí você vira a página, e termina seus ovos de galinha caipira. Por que, o que você vai fazer? É demais...

Eu tentei cometer suicídio uma vez...Obviamente não funcionou. Mas por que você quer ouvir isto? Cristo, você tem seus próprios problemas. Estou certo de você está todo obcecado com um grande número de tristes e pequenos sonhos e esperanças. Suas previsivelmente dissatisfatórias vidas amorosas, seus negócios falidos. 'Oh, se eu tivesse comprado aquela ação!' 'Se eu tivesse comprado aquela casa anos atrás!' 'Se eu tivesse cantado aquela mulher!' Se isto, se aquilo, quer saber de uma coisa? Me poupem dos 'devia ter feito', 'podia ter feito'. Como minha mãe dizia: 'Se minha avó tivesse rodas, ela seria um carrinho de rolimã'.

Minha mãe não tinha rodas, ela tinha veias varicosas. Ainda sim, a mulher deu luz a uma mente brilhante. Eu fui considerado para um prêmio Nobel em física. Eu não ganhei. Mas você sabe, é tudo politicagem, como em qualquer honra furada. Incidentalmente, não pense que eu sou amargurado por causa um pequeno obstáculo pessoal. Pelos padrões de uma civilização bárbara e sem cérebro, eu tenho sido bem sortudo..."

Como eu disse, muito bom o filme, hehehehe....

3 comentários:

  1. Concordo Flávia! Muito bom, o filme! ;)

    ResponderExcluir
  2. hauhauhahuauhahu ai ai... continuando a ler!

    ResponderExcluir