sábado, 20 de fevereiro de 2010

Gifted Universe

Então, eu até ia dormir e tudo, mas... Eu estava com o site que me inspirou a fazer este blog aberto, ai eu tive que fazer este post. O anterior eu ainda vou comentar, mas não agora. Então, há uns três meses eu estava pesquisando sobre adultos com altas habilidades, e achei o site de uma moça americana com a qual me identifiquei, ela era uma criança superdotada, e acabou... bem, ela escreveu um texto em seu próprio blog se apresentando (sem nome) vou traduzí-lo aqui, inclusive esta vai ser a primeira de várias traduções deste blog, que achei fantástico: gifteduniverse.com

"Quando eu tinha onze anos, fiz um teste padronizado de inteligência. Baseado nos resultados deste teste, foi determinado que eu poderia atender a um programa de altas habilidades com outras crianças que haviam obtido resultados similares no teste. Até recentemente, era só isto que o rótulo de 'superdotada' significava para mim. Talvez também significasse que eu pensava um pouco mais rápido e um pouco diferente do que a maioria das pessoas. Mas isto era tudo.

Vinte e sete anos depois, me sentindo sem desafios e infeliz no meu trabalho, eu me perguntei: onde estão os trabalhos que desafiarão minha mente? Por acidente, eu encontrei informações sobre adultos superdotados. Eu descobri, pela primeira vez que a superdotação não é somente sobre como eu penso, mas também sobre como eu me sinto, sobre como eu entendo o mundo. Que ser superdotada tem um papel importante em definir quem sou eu como pessoa. Epifania total.

Como adulta, eu passei parte significante da minha vida trabalhando... o equivalente adulto de estar na escola. Quando eu era criança, a comissão de educação determinou que eu estaria melhor servida em um ambiente educacional em particular. Mas não existe o equivalente a tal comissão no espaço de trabalho para me assistir e eu ainda não tenho a resposta para: qual o melhor tipo de ambiente de trabalho para um adulto superdotado? Claro que existem várias respostas para tal pergunta, mas quais são as características que estes ambientes de trabalho/carreira têm em comum?

gifteduniverse.com é uma plataforma para explorar tais questões: o que significa ser um adulto superdotado? E como ser um adulto superdotado afeta nossas vidas profissionais? É minha intenção prover informações, construir um fórum que encoraje discussões sobre tais temas ; criar uma comunidade. Também estou interessada nas histórias de outras pessoas sobre suas experiências profissionais. E eu realmente espero que vocês me ajudem a responder a questão: que tipo de trabalho é mais compatível com um adulto superdotado?"

É isso, faço das palavras dela as minhas...

5 comentários:

  1. Olá! (sou portuguesa, por isso pode achar estranha a minha forma de escrever...e já agora, em Portugal diz-se sobredotado, não se assuste :P )

    Não sei se sou sobredotada, porque nunca me submeti a nenhuma avaliação. Porém, sempre que leio relatos de sobredotados, como o seu, sinto que estou a reviver o meu passado...
    Tenho 30 anos e estudei Educação social na universidade, porque era o curso que abordava áreas mais diversificadas, e que me permitiria compreender a sociedade e intervir nela, em aspectos que eu considerava menos positivos.

    (também estive 2 anos a tentar perceber o que iria fazer do meu futuro...e também faltava ás aulas até a minha mãe ir justificar as faltas todas para eu não chumbar!Isto acontecia vezes sem conta!ehehe )

    Cedo percebi que não iria ser fácil encontrar um trabalho que me estimulasse e que me proporcionasse os instrumentos e motivação de que eu iria necessitar. Na área social em Portugal, nem todas as pessoas têm a formação certa, ou a criatividade suficiente para efectuar boas intervenções e eu não estou disposta a compactuar com a "deseducação" dos cidadãos, algo que penso que muitos organismos e instituições fazem. (já estou a abusar do seu tempo...ehehe)
    Isto tudo para dizer que, depois de já ter passado por várias experiências profissionais, penso ter encontrado o trabalho certo para mim!! Não tenho função específica, são tantas quantas ideias me surjam! E tenho liberdade para criar projectos, fazer críticas aos métodos e processos, bem como investigar. Trabalho com públicos muitos diferentes, desde crianças a idosos, dou formação sobre várias áreas (o q me obriga a conhecer novas coisas constantemente), ou simplesmente faço animação. Tanto posso ter de fazer de relações públicas, como de contadora de histórias, pedagoga ou investigadora social...faço tratamento de video digital, teatro, ou gestão de bases de dados, entre muitas outras coisas!
    Resumindo, e não tendo eu a certeza de possuir altas habilidades, penso que este pode ser um dos trabalhos indicados para adultos com necessidade de experiências intelectuais e criativas originais e diversificadas.
    Neste caso, trabalho numa Biblioteca pública (tendo parcerias com escolas, creches e outras instituições) e num Fórum da juventude (também estatal).
    Desculpe o longo testemunho, mas é proporcional ao interesse que este seu blog tem para mim!! Imenso! ;)

    ResponderExcluir
  2. Olá Cláudia, tudo bem?

    Muito legal seu comentário. Este era um de meus objetivos fazendo este Blog, achar pessoas que possuem o mesmo tipo de pensamento e também de dificuldades.

    Como eu já disse aqui, até hoje não estou certa do que fazer com minha vida, então fico muito feliz em ver alguém que possuía o mesmo tipo de problema, ter encontrado uma solução.

    Acho mais legal ainda você ter encontrado algo que goste de fazer e que tenha impacto neste mundo tão imperfeito.

    Me identifico muito com uma das coisas que você falou (entre outras né?), ter a oportunidade constante de conhecer e trabalhar com coisas novas a todo instante. É isso que mais me dá medo em começar uma 'carreira', ficar estagnada em uma posição profissional, fazendo a mesma coisa o resto da vida...

    Essa semana fui fazer uma entrevista de estágio, e na hora da temida pergunta: 'Qual o seu pior defeito?' Eu tive que ser sincera: eu perco o interesse muito fácil, eu preciso de novidades ou coisas que me interessem profundamente para que eu possa me dedicar a elas.

    Gostei muito do seu comentário, e não se preocupe com a extensão dele, como você já deve ter percebido a maioria dos posts aqui são enooormes. Comente mais e sempre que puder. Inclusive, se puder, fale mais sobre o que você faz, porque me interessei bastante!

    Abraços

    ResponderExcluir
  3. Hello once again! :)

    Tenho uma sugestão para si...em vez de dizer que perde o interesse facilmente, pq não dizer que tem a capacidade de aprender constantemente novos conhecimentos e sabe como ninguém adaptar-se a diferentes situações? A Flávia n tem esse defeito, os outros é q não estão à altura das suas qualidades! :P

    Ontem esqueci-me de dizer que também adoro culinária!! Cozinho desde os 6 anos (apesar do pânico da minha mãe, quando eu ía para a cozinha! ihihi...mas nunca peguei fogo a nada! :P )
    Já deixei de ler tanto sobre isso, pq em Portugal nem sempre se encontram todos os ingredientes necessários para fazer as receitas "diferentes". Acabo por preferir inventar as minhas próprias comidas, com aquilo que sei que vou encontrar em supermercados!

    Quanto ao que faço, vou tentar resumir e depois venho aqui postar, pq senão ficaria aqui uns dias a escrever! :P
    Mas devo dizer-lhe que o meu curso é mais valorizado aí no Brasil do que cá!

    Gostava de lhe pedir que me falasse de como foi feita a sua avaliação, porque infelizmente nunca tive contacto próximo com ninguém que tenha passado por isso, nem estou por dentro do processo! Daí a minha dúvida existencial...

    Se quiser adicionar-me no MSN:
    claudiafonso@hotmail.com

    Inté! ;)

    ResponderExcluir
  4. Olá "meninas"!
    Como assim? Achei minha turma por acaso?
    Explico: desde fevereiro quando reencontrei minhas amigas de primeiro grau, todas disseram que sempre perceberam que eu tinha "habilidades" como, por exemplo: andar segurando uma coca-cola, comer salgadinhos e falar ao mesmo tempo.
    Brincadeiras de minhas colegas a parte, as mesmas se lembraram da minha forma "peculiar" de fazer trabalhos em grupo: "conversem, eu faço o rascunho e você copia porque tem a letra mais bonita." Elas lembraram que com 12 anos eu já datilografava (aprendi sozinha), me antecipando à era digital, dizendo que no futuro não precisaria ter uma letra bonita (e eu nem pensava que estava falando de computadores, pura intuição).
    Quando disse a elas que tinha um blog, fizeram expresão de: "mas é lógico!", só podia...
    Enfim, em relação a trabalho, sou advogada formada, com OAB e tudo, que precisou se refugiar literalmente em uma ilha deserta para decorar o que pediam no teste. Trabalho com Direito de Família, mas vejo que não tenho paciência (inconformismo, por essa palavra cheguei a esse blog) para burocracia, e dou sempre um jeito de acelerar as coisas, oferecendo aos clientes o lógico, resolver os conflitos antes e entrar na justiça só para homologar o acordo ( o que para mim parece óbvio, mas meus colegas costumam me achar "doida" e que quero desvalorizar o "trabalho", ou seja, diminuição de custos ao cliente, mas não me preocupo, tenho uma posição bem sólida.
    Quanto a personalidade: me encaixo em tudo que li.
    Parabéns Flávia!
    Te sigo daqui!

    ResponderExcluir
  5. Cara isso é muito bom, kkk, me alegro muito hahah,

    ResponderExcluir